Ministério Agricultura

terça-feira, 13 de março de 2018

O Racha na Base Aliada do Governador Marconi Perillo

A  base aliada do governador Marconi Perillo sempre se manteve coesa e unida na hora da eleição. Este ano no entanto existem algumas figuras que anunciam o rompimento de alguns políticos que até então se mantiveram firmes na base aliada e outros que nem tanto assim, não passaram de adeptos do fisiologismo politico.

Um racha importante está no PR comandado pela deputada Federal Magda Monfatto que tem 3 deputados  estaduais: Cláudio Meirelles,  Álvaro Guimarães, Dr Antônio. Cláudio Meirelles e Dr. Antônio já declararam apoio a candidata de Ronaldo Caiado e Álvaro Guimarães foi preterido na eleição para prefeito pela base aliada e recebeu apoio de Ronaldo Caiado. Em Itumbiara a base aliada deve lançar o vice prefeito Gugu Nader para deputado estadual e a tendência natural é Álvaro Guimarães apoiar Ronaldo Caiado.

A senadora Lúcia Vânia (PSB) mais uma vez conseguiu até aqui ter a garantia que disputará o senado na chapa da base aliada, no entanto,  dentro da base a rejeição da senadora é grande principalmente em relação aos deputados federais e estaduais.

O PTB também deve rachar, Henrique Arantes, apoiou Adib Elias para prefeito de Catalão e dentro da Assembleia os colegas deputados afirma que ele age mais como oposição do que como aliado. Além disso o PTB não aceita ficar fora da chapa majoritária e tem Demóstenes Torres pleiteando uma vaga para disputar o senado. No momento o único cargo disponível na chapa da base aliada é o de vice governador, reservado para o PSD por uma questão de tempo de televisão. Desta forma não será surpresa uma aliança do PTB com Ronaldo Caiado. O governador  Marconi Perillo  tem incentivado Demóstenes Torres  a disputar mandato de deputado federal. “Respeito a opinião do governador, mas aviso, desde já, que vou disputar mandato de senador. Quero reescrever minha história e isto se dará com a volta ao Senado.” Responde Demóstenes quando questionado.
O PP já rachou, o Senador Wilder Morais, presidente estadual do partido não abre mão de ser candidato a senador. Sem vaga na chapa da base aliada, está em negociação para ser candidato na chapa de Daniel Vilela e Ronaldo Caiado. Amanhã em Brasilia Alexandre Baldy vai se filiar ao PP e deve assumir o comando do partido em Goiás que ainda tem os deputados federais, Sandes júnior e Roberto Balestra que permanecem na base aliada.


 Vilmar Rocha ensaia rebeldia dizendo que quer uma vaga para disputar o senado, mas o que sobra para o partido é uma vaga de vice governador que está em disputa também pelo PRB do deputado federal João Campos, outro assediado por Ronaldo Caiado.

Em resumo,  o desafio  da base aliada nesta eleição está em  se manter unida, o que no momento é pouco provável que consiga.



2 comentários:

Vm mariano disse...

Todos citados acima são ladrões de colarinho branco, todos são corruptos nenhum desses ai devem ser reeleito, jovair arantes é pior de todos.

Paulo disse...

Parafraseando o saudoso Valério Luís: "quando o navio tá afundando..."